segunda-feira, 21 de maio de 2007

A FERRARI E A VASSOURA

por Enzo Carlo Barrocco








Massa: vassoura e tecnologia


Domingo retrasado, dia 13 de maio, por ocasião do Grande Prêmio da Espanha de Fórmula 1, no circuito de Barcelona, em um dos pit stop do piloto brasileiro Felipe Massa (São Paulo 1981), da Ferrari, os dois integrantes da equipe responsáveis pelo abastecimento, deixaram cair combustível na carenagem do carro que, evidentemente, aquece com o decorrer da prova, fazendo com que essa parte do carro pegasse fogo sem maiores conseqüências tanto para o carro quanto para o piloto, mesmo porque a velocidade apaga esse fogo sem maiores problemas, o que realmente aconteceu, inclusive, como sabido por todos, Massa veio a ganhar a corrida naquele dia. Pois bem. Dois mecânicos foram designados para colocar uma espécie de cal sobre o combustível derramado no piso em frente ao box para não trazer maiores problemas em outras possíveis paradas tanto de Massa quanto do seu companheiro de equipe, o finlandês Kimi Raikkonen (Espoo 1979). Neste ponto a televisão foi muito feliz em mostrar uma cena inusitada: um dos mecânicos com uma vassoura apareceu limpando o pó colocado para enxugar o combustível derramado. O fato é que em meio a tanta tecnologia, a parafernálias moderníssimas e a ferramentas de última geração, a velha e inestimável vassoura rouba a cena mostrando, explicitamente, que o complexo não pode, de maneira alguma, viver desgarrado do simples.


Foto 2: Massa no pódio em Barcelona

Nenhum comentário: