quarta-feira, 30 de maio de 2007

VERBENA

Um comentário:

Analuka disse...

Sim, a letra respira, palpita, suspira, pulsa, delira neste teu poema! ... Abraço, Enzo.