terça-feira, 31 de julho de 2007

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE: A MAIS ALTA VOZ DA POESIA BRASILEIRA


Carlos Drummond de Andrade
Itabira 1902 - Rio de Janeiro 1987
Poeta, contista e cronista mineiro

Poema da purificação

Depois de tantos combates
o anjo bom matou o anjo mau
e jogou seu corpo no rio.

As água ficaram tintas
de um sangue que não descorava
e os peixes todos morreram.

Mas uma luz que ninguém soube
dizer de onde tinha vindo
apareceu para clarear o mundo,
e outro anjo pensou a ferida
do anjo batalhador.

Um comentário:

liria porto disse...

ah, o meu poeta...

nirvana
líria porto

quintana e drummond
estavam lá na rua
quando a lua veio

então carlos falou
que bacana senta-te aqui
no colo de quintana

a lua se sentou


*