quarta-feira, 25 de julho de 2007

A ENGENHOSA PALAVRA DE JOAQUIM CARDOZO


Joaquim Cardozo
Recife 1897 - Olinda 1978
Poeta, dramaturgo e engenheiro pernambucano
AQUARELA
Macaíbeiras chovendo
Cheiro de flor amarela;
Cheiro de chão que amanhece.
Estavas sob a latada
Quando te abri a janela.
Cheiro de jasmim laranja
Pelos jardins anoitece;
Junto a papoulas dobradas,
Num canteiro florescendo,
A tua saia singela.
Macaíbeiras chovendo
Cheiro de flor amarela...
Não sei se és tu, se eras outra,
Não sei se és esta ou aquela,
A que não quis nem me quer,
Fugindo sob a latada
Nessa tarde de aquarela.
Macaíbeiras chovendo
Cheiro de flor amarela...

Nenhum comentário: