terça-feira, 31 de julho de 2007

O DIÁRIO DOS PENSADORES - PÁGINA 6


A guerra, que era antes o primeiro dos recursos, é hoje o último deles
e amanhã será um crime.
- José Marti (Havana 1853 – Dos Rios 1895) poeta, ensaísta e jornalista
cubano

Podemos curar qualquer mal com dois remédios: o tempo e o silêncio.
- Alexandre Dumas, Pai (Villers-Cotterêts 1802 - Puys, próximo de Dieppe 1870) romancista e dramaturgo francês

Toda arte é uma revolta contra o destino do homem.
- André Malraux (Paris 1901 - Verrières-le-Buisson 1976) romancista e ensaísta francês

Ao lidar com insanos o melhor método é fingir ser são.
- Herman Hesse (Calw 1877 – Montagnola, Suíça 1962) poeta e romancista alemão

As noivas modernas preferem conservar os buquês e jogar seus maridos fora.
- Groucho Marx (Nova York 1890 – Los Angeles 1977) ator comediante americano

Amor é algo que acontece entre homens e mulheres que não se conhecem.
- William Somerset Maugham (Paris 1874 – Nice 1965) contista, dramaturgo, romancista e ensaísta inglês nascido na França

Só não existe o que não pode ser imaginado.
- Murilo Mendes (Juiz de Fora 1901 – Lisboa 1975) poeta e ensaísta mineiro.

A mulher é o mais belo defeito da natureza.
- John Milton (Londres 1608 – Idem 1674) poeta inglês

A revolução não é sublevação contra a ordem preexistente, mas a implantação de uma nova ordem que vira a tradicional do avesso.
- José Ortega y Gasset (Madri 1883 – Idem 1955) filósofo e humanista espanhol

A vida é um espetáculo maravilhoso, mas nossos lugares não são bons e não entendemos o que estamos assistindo.
- George Clemenceau (Mouilleron-en-Pareds 1841 – Paris 1929) político, ensaísta e jornalista francês

Conserva-te calmo. Tudo acabará dentro de mais cem anos.
- Ralph Waldo Emerson (Boston 1803 – Concord 1882) poeta, filósofo e ensaísta americano

Convém, em certas ocasiões, ocultar o que se traz no coração.
- Jean-Baptiste Poquelin, o Molière (Paris 1622 – Idem 1673) dramaturgo e ator francês

Nenhum comentário: