sexta-feira, 31 de agosto de 2007

RUY BARATA: A POESIA DO BAIXO-AMAZONAS


Ruy Barata
Santarém 1920 - São Paulo 1990
Poeta, compositor e político paraense

PRIMEIRO DE MAIO

Surja esse verso de maio,
trazido pelos arcanjos,
um verso que faça maio,
o maio dos desenganos,
e fel transforme em doçura,
rendilhando de ternura,
os meus fracassos humanos.

Um verso que me decifre,
nas horas de ansiedade,
que não sendo antologia,
seja a minha humanidade,
levando por onde for,
os meus suspiros de amor
e gritos de liberdade.

Nenhum comentário: