quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

SONETO DE DESASSOSSEGO

Enzo Carlo Barrocco





















A tarde flui lentamente,
nuvens com morosidade,
desassossego somente
no azul da minha saudade.

Meu poema inconsequente
jamais dirá a verdade.
O tempo passa inclemente
deixando, apenas, saudade.

Só falo o que vem na mente,
vou morrer, só não sei quando
mas enquanto for o meu verso

essa viva luz derramando
nesta nau inconsistente
serei uma ave cantando...

Um comentário:

Rosa Barroso disse...

Caro amigo,visitei teu Blog e achei muito bonito com belos textos. "O tempo passa inclemente
deixando, apenas, saudade" É a saudade é que as vezes é inclemente, pelo menos para mim. Parabéns por teus poemas Beijinhos, Rosinha