quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

UM POEMA DE MÁRIO DE ANDRADE


Mário de Andrade
(São Paulo 1893 – Idem 1945)
Poeta, romancista, ensaísta e crítico de arte paulista

Minas Gerais de assombros e anedotas...
Os mineiros pintam diariamente o céu de azul
Com os pincéis das macaúbas folhudas.
Olhe a cascata lá !
Súbita bombarda.
Talvez folha de arbusto,
ninho de teneném que cai pesado,
talvez o trem, talvez ninguém...
As águas se assustaram
e o estouro dos rios começou.

Nenhum comentário: