quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

JUSTAPOSIÇÃO

Enzo Carlo Barrocco



























O mesmo céu sobre todos os gozos,
o mesmo azul sobre todas as dores.

Sempre o mesmo caminho,
os mesmos rastros ao longo do trajeto;
um menino de alpercatas gastas,
uma senhora gorda de sandálias plásticas,
uma moça de tênis caros,
um homem engravatado de sapatos pretos,
um velho coxo de uma chinela só... 

O mesmo céu sobre todas as dores,
O mesmo azul sobre todos os gozos.

Um comentário:

Alessandra disse...

quanta musicalidade... tuas palavras num desequilíbrio de gozo! Belo sempre, meu querido!