sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

A LITERATURA NOBEL DE JOSÉ SARAMAGO


José Saramago
(Azinhaga 1922)
Poeta, contista, romancista, dramaturgo, cronista, ensaísta, jornalista e crítico literário português

Eu luminoso não sou.
Nem sei que haja

Um poço mais remoto, e habitado
De cegas criaturas, de histórias e assombros.
Se, no fundo poço, que é o mundo
Secreto e intratável das águas interiores,
Uma roda de céu ondulando se alarga,
Digamos que é o mar: como o rápido canto
Ou apenas o eco, desenha no vazio irrespirável
O movimento de asas. O musgo é um silêncio,
E as cobras-d'água dobram rugas no céu,
Enquanto, devagar, as aves se recolhem.

Um comentário:

Alessandra disse...

um rebelde/revolucionário das letras! Maravilha!