sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

MALDIÇÃO

Enzo Carlo Barrocco























Em dezembro não serei mais poeta
que busca as estradas, os pássaros, o sol,
e não terei, destarte,
a amaldiçoada lira que carrego nos olhos. 

Buscarei a paz
fatal e necessária
de um caminho morto
que me levará para sempre e inevitavelmente
ao silencioso
azul do anoitecer.