quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

POEMA PARA CECÍLIA

Enzo Carlo Barrocco



A longa luz de Cecília, luz de um século,
a beleza de seu rosto grave;
sua cadeira feita de nuvens
em sua sala de azul e poemas.

As lindas mãos de Cecília
sobre a mesa de pinho
criando paisagens
e enternecendo os anjos.

Cecília canta o seu verso vário;
e este dia que se vai no tempo
eterniza-a
nos que aqui estão.
Ave, Cecília! Ave, seus olhos de infinito!

Um comentário:

Alessandra disse...

Linda ela!
Para Cecília,
Uma flor amrela girando
e o tempo a polenizar as mãos!