terça-feira, 15 de janeiro de 2008

POEMA PARA OS AFLITOS

Enzo Carlo Barrocco



Vens morrendo com as mãos

ensagüentadas; assassinato
que testemunhei.
Onde estarão polícia e jornalismo?

Um punhal de aço e de fúria
brilha nos olhos das mulheres apavoradas,
a morte é horizontal;
luz para os teus olhos cansados.


Nenhum comentário: