quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

AS MULHERES NUAS

Enzo Carlo Barrocco




Dos meus olhos impuros
descubro a via ápia
das curvas que existem no teu semblante.

Acontece tudo o que se imagina;
estrada que segue
entre milharais e
este céu flavo; tarde nos meus cabelos.

As mulheres nuas dançam
sobre um tapete
imaginadas agora dentro de mim.

O que se passa nos lugares
onde meus olhos não alcançam?
Ainda estou longe de me tornar um anjo...

Nenhum comentário: