quarta-feira, 2 de abril de 2008

A POESIA MARANHENSE DE FERREIRA GULLAR


Ferreira Gullar
(São Luís 1930)
Poeta, contista, cronista, dramaturgo, telenovelista, crítico de arte e ensaísta maranhense

OCORRÊNCIA

Aí o homem sério entrou e disse: bom dia.
Aí outro homem sério respondeu: bom dia.
Aí a mulher séria respondeu: bom dia.
Aí a menininha no chão respondeu: bom dia.
Aí todos riram de uma vez
Menos as duas cadeiras, a mesa, o jarro, as flores
as paredes, o relógio, a lâmpada, o retrato, os livros
o mata-borrão, os sapatos, as gravatas, as camisas, os lenços.

Nenhum comentário: