sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A PERFORMANCE POÉTICA DE RICARDO CORONA


Ricardo Corona
(Pato Branco 1962)
Poeta e contista paranaense


A GARGALHADA
DO MACACO


Para Sheila Tramujas


Acordei com um retalho
de fio umbilical na boca.
Ariadne, feito peixe mutante,
tecia em meus lábios
o sabor que só agora traduzia.
Sabor que viera no vento,
da margem do grande útero
- um uivo na memória -


De lá vêm sinais elétricos,
pensamentos líquidos
de seres umedecidos
e pulmões duplamente ativados,
que mostram o caminho das escamas
e as pegadas em terra firme.
E ouvem a gargalhada do macaco.


Nenhum comentário: