quarta-feira, 1 de outubro de 2008

INFIDELIDADE

Enzo Carlo Barrocco




Não quero dizer que te amo,
boca que a outro pertence,
diga-me uma palavra que seja.

Pergunte-me as horas, um endereço
mesmo sem nenhum apego;
é minha intenção trair-te sem ter-te.

Não importa este poema curto,
teus lindos olhos (paisagem também)
desaparecem no estirão da manhã.


Nenhum comentário: