quinta-feira, 13 de novembro de 2008

RONALD CLAVER: O POETA DE BELÔ


Ronald Claver
Belo Horizonte 1946
Poeta, contista e ensaísta mineiro



AS MARGENS

Ah, rio de esperadas margens
De coloridas águas
De imprevistas mágoas

Ah, rio meu de braços frágeis
De feminina forma, se afogando
No vazio de teus peixes

Ah pobre rio sem sementes
Os anzóis não mais te visitam
O povo não come em tuas águas
As multinacionais deixaram em ti
águas turbulentas, criminosas,
águas que não afluem, não somam
Águas que subtraem
E as dragas
Vão dragando o que resta de ti
- As pedras



Nenhum comentário: