quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

PÁSSAROS DO ANOURÁ - POETRIX - 18ª TRÍADE


Enzo Carlo Barrocco



LAVOURA PERDIDA

Preciso semear
palavras; lavoura perdida,
tempo de esperar.


PARA QUE VIVAMOS!

Convém não morrer agora
que todos necessitamos
de aurora.


RÉU CONFESSO

Venho nestes versos
dizer-vos: sou desses poetas
dispersos.

Nenhum comentário: