quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

ANOITECENTE

Enzo Carlo Barrocco




Surge, então, subitamente
por trás da ucuubeira
a lua resplandecente
de toda forma e maneira

que pude do meu terreiro,
à noite configurada,
olhar o céu por inteiro
sobre uma nuvem apagada.

Eu sei que logo amanhece,
também sei, me espera a lavra,
o que agora acontece

lembra-me qualquer palavra;
a noite suave desce
junto com o frio de que agrava.

Nenhum comentário: