sexta-feira, 24 de abril de 2009

31


Enzo Carlo Barrocco





Bateu a noite, o coração batia,

As ruas todas, a cidade inteira

Envolvida num torpor profundo

De janeiro já se despedia.


Veio a chuva ensopando tudo,

As ruas todas, a cidade inteira,

Pelos prédios umas luzes fracas

Um domingo opressivo, mudo.


O cenário estava bem soturno,

As ruas todas, a cidade inteira,

Poucos carros; pouca gente havia.


Aqui e além uma alma errante.

Ante o vulto da manhã distante

Fevereiro já se entrevia.



Nenhum comentário: