segunda-feira, 5 de outubro de 2009

DA LAVRA POÉTICA DE ADELMO OLIVEIRA


Soneto da última estação (Mitologia Marinha)


Adelmo Oliveira

Baiano de Itabuna

75 anos


Esta que vem do mar por entre os ventos,
Sacudindo as espumas dos cabelos,
Vem molhada de azul nos pensamentos,
Seu corpo oculta a ilha dos segredos.

Vem e dança ao andar sobre as areias
Úmidas sob os passos e os desejos,
Onde as ancas são ondas em cadeias
Infinitas
de luz contra os espelhos.

Nem precisa de flor nem de perfume,
Ela é a própria essência do ciúme,
Feita de mito e se fazendo estrela.

Vem – dança – e passa aos fogos do verão
– Fantasia da última estação.
Explodiu na vertigem da beleza.


Nenhum comentário: