segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

AFONSO CLÁUDIO, O POETA ATIVISTA


O POETA


Afonso Cláudio de Freitas Rosa, poeta, historiador, folclorista, ensaísta e político espírito-santense (Mangaraí, Distrito de Cachoeiro de Santa Leopoldina 1859 – Rio de Janeiro 1934), segundo alguns, foi o maior intelectual capixaba do final do século 19. Republicano e antiescravocrata, o poeta lutou muito contra a monarquia e a escravidão em nosso país. Com a Proclamação da República Afonso Cláudio se tornou o primeiro governador do estado do Espírito Santo.



O POEMA


O colóquio das águas (O rio e o mal)

II


— Quão venturoso és tu, ó velho sonhador!

Que nas areias límpidas, silentes,

Os flancos moves e aos largos continentes

Pródigo distribuis a quentura e o frescor!


— Engano teu, vilão! Em toda a parte a dor —

Diz o mar — transborda como tu em túrgidas enchentes;

Se o visco da lesma conspurca e tisna a flor,

Que outra sorte reservas ao resto dos viventes?


Por sobre o dorso meu repontam as quilhas;

Em revoadas se abatem sobre as ilhas

Aves que sulcam do espaço as amplidões.


E enquanto sobre mim deriva a vasa impura

Das cidades, os crustáceos revolvem a lama escura,

Que a terra expele e em ígneas convulsões!



Nenhum comentário: