terça-feira, 4 de maio de 2010

A POÉTICA CASA DE SUILANE


Enzo Carlo Barrocco



Ela morava na passagem

Santa Rita nº 06.


À frente

um cercadinho de ripas simétricas,

caiadas.


Uma janela e uma porta

pintadinhas de azul

na parede frontal.

Um saguão estreito rente

ao muro rebocado da casa vizinha.


Uns vasos de cimento cru,

à frente da casa,

com plantas diversas,

a cancela baixa.

Fui até à porta, certa vez,

embora nunca tenha entrado.


Mas, devo afirmar,

que faz tempo que não vou

à Marambaia,

suponho, até, que a moça se mudou.



Nenhum comentário: