sexta-feira, 23 de julho de 2010

QUILOMBOLAS


Enzo Carlo Barrocco




A pele e os olhos negros,
o sol liberiano
e o sorriso que se expande,
a força e a lavra,
a alegria.

O negro sabe da sua condição,
de sua respeitável luta
pela sobrevivência.

Somos todos da mesma essência,
a mesma cor no fundo
da alma.

Nenhum comentário: