sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

QUEIMADAS


Enzo  Carlo Barrocco


As árvores semiústas
erguem os braços para os céus;
o dia rubro
põe nuvens pavorosas no horizonte.

Tocos e troncos no cinzal medonho
e animais carbonizados
na angústia da fuga.

Os pássaros se foram,
restam o sorriso ingênuo do caboclo
e o grelo da maniva
entre os dedos tisnes das crianças.

Nenhum comentário: