quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

RELÂMPAGOS


Enzo Carlo Barrocco


 



As luas carmim retornam
do infinito.
Noites claras nestas luas cheias.

Uns riscos esgalhados
fulgem pelo prado
claro-escuro do horizonte.

Deus, agora, acende
lamparinas. 

Nenhum comentário: