terça-feira, 22 de novembro de 2011

A COLHEITA NÃO TARDA O SEU INÍCIO

Enzo Carlo Barrocco




















Um sol inconteste se espraia
Pela lavoura.
O milharal se perde no horizonte
E o dia incomum se alarga
Acompanhando o trote dos minutos.

O calor faz lembrar
Que outubro se adianta
E a colheita não tarda seu início.
O planeta se sustém na lavoura. 


Nenhum comentário: