terça-feira, 13 de dezembro de 2011

COM TOSTÃO POR OUTROS CAMPOS DE TRIGO

Eduardo Gonçalves de Andrade, o Tostão, mineiro de Belo Horizonte, ex jogador de futebol e médico, no convés da fragata destes 1947, quando criança foi chamado para jogar em um time de várzea e como parecia sumir no meio dos outros garotos, pegou o apelido que carrega até hoje. Iniciou a carreira no futebol de salão do Cruzeiro em 1961. Depois é que foi para o futebol de campo. Ao lado de Dirceu Lopes formou umas das maiores duplas do futebol brasileiro. Tostão ficou conhecido como o “Rei Branco”, já que Pelé era o Rei Negro. Sendo o maior artilheiro da história  do Cruzeiro com 249 gols. Na Copa do Mundo de 1970, Tostão foi apelidado de Mineirinho de Ouro. Estreou na seleção brasileira no dia 15 de  maio de 1966, em um amistoso no Morumbi contra a Seleção do Chile. Foi convocado para a seleção com 19 anos. Ao lado de Pelé e tantos outros craques, levou o Brasil à classificação para o Mundial do México, sendo o artilheiro das eliminatórias com 10 gols. A imprensa o chamava de vice-rei. Em 1975 passou nos vestibulares da Faculdade de Ciências Médicas e da Escola de Medicina da UFMG. Optou pela segunda e se formou em medicina (clínica geral) em 1981.Dr. Eduardo se recolheu a uma vida simples, tipicamente mineira, ao lado de sua mulher e seus filhos, deixando o Tostão para ser – com muita justiça – idolatrado pelos torcedores que jamais esquecerão a sua imagem. Voltaria ao futebol na década de 90, como comentarista esportivo e colunista de várias televisões e jornais. Tostão escreveu o livro de memórias “Lembranças, Opiniões e Reflexões sobre Futebol”, pela editora DBA de São Paulo, lançado nacionalmente. Tostão ficou marcado ao longo de sua carreira pela sua visão de jogo, com passes esplêndidos; deixava os atacantes em excelentes condições para marcar. Possuía toques sutis, inteligência notável para se deslocar e armar o jogo, um gênio do futebol mundial. Mesmo jogando no meio-campo para municiar os atacantes, era também artilheiro, possuía a capacidade de dar o drible curto contra o adversário com facilidade, tinha uma visão de jogo ímpar, foi um dos melhores cobradores de falta e também treinava sozinho para se aperfeiçoar e corrigir defeitos. O esporte mundial, em especial o futebol, deve muito a esse sensacional jogador que deixou seu nome marcado para sempre na história do futebol. 

Titulos

Seleção Brasileira

Cruzeiro

Artilharia

Premios

Recordes

Curiosidades
  • Tostão tem a maior média de gols do Mineirão.
  • Nos oito anos que defendeu o Cruzeiro na "Era Mineirão" marcou um total de 143 gols no gigante da Pampulha.
  • Tem a média de 17,875 gols por ano, enquanto o atleticano Reinaldo, o segundo da lista, tem uma média de 11,692 gols por ano.
  • O personagem Roberto Hongo da Série Super Campeões (Captain Tsubasa - Versão Japonesa) foi inspirado nele.


Nenhum comentário: