sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

TODA A BELEZA DA NOITE

Enzo Carlo Barrocco



















A luz mortiça da rua
nos portões da madrugada
condiz com o estirão da estrada;
silêncio, neblina, lua.

Não vês a beleza enorme
que à noite, por certo, existe;
ao sono ninguém resiste
pois muita gente já dorme.

Vai beirando para uma
hora da madrugada
e neste momento nada

se move, coisa nenhuma.
Que a noite então se consuma
nas mãos sutis da alvorada. 


Nenhum comentário: