sexta-feira, 9 de março de 2012

AS RODAS DO TEMPO

Enzo Carlo Barrocco


 


Perdido e taciturno às noites turvas
sob luas que se lançam para oeste
o tempo é um cavalheiro que se veste
de fraque, estolão e grossas luvas.

Nunca deprecie seus passos lentos
pois um dia chegarão ao seu destino;
aqui um presságio cristalino:
a ele fiarás teus sentimentos.

Portanto, uma viagem sem retorno
estás realizando nesse instante,
todavia continua confiante,

desvia se houver algum transtorno,
repara na estrada e no contorno
da lívida paisagem adiante.

 
 

Nenhum comentário: