quinta-feira, 1 de março de 2012

PÉROLAS DE CARANANDUBA - Canto nº 1

Enzo Carlo Barrocco


AS PEDRAS
Sei que as pedras têm segredos,
Segredos de eternidade,
Nas mãos o tempo e a saudade
Presos nas pontas dos dedos.

POEMAS LILASES
Quão melífluo esse desfecho
Que tu, ó, morte me trazes,
Alguns poemas lilases
Ao mundo somente deixo.

INTIMIDADE
Voa rasante em meu peito
(águas profundas de um rio)
A ave louca no cio,
Ave com a qual me deito.

À POETA CÉLIA BASSALO
Dentro destes quatro versos,
Amiga Célia Bassalo,
Embora o pouco que falo,
Ponho os meus mil universos.

NAMORADOS
Quando à noite a lua linda
Põe os olhos na janela
Fico de amores com ela,
Minha tristeza se finda.

Nenhum comentário: