terça-feira, 15 de maio de 2012

CENA MARAJOARA


Enzo Carlo Barrocco


















Embora a lua encoberta
por uma nuvem pesada
mantenho a janela aberta
nos confins da madrugada.

Não temo nenhum perigo
na curva larga do rio,
as débeis mãos do inimigo
não suportariam este frio.

Portanto, prossegue a noite,
assim como o rio desliza,
neste pedaço de mata

decorre uma leve brisa
a alvorada se arruma,
logo mais se concretiza.


Nenhum comentário: