quinta-feira, 17 de maio de 2012

FLORES DE TRACUATEUA - CANTO Nº 12




Enzo Carlo Barrocco


AS ÁLACRES MANHÃS AMAZÔNICAS

Vivendo nestas florestas
Por muitos e muitos anos
Não canso de olhar as festas
Das araras e dos tucanos



O INVERNO SE APROXIMAVA

Era uma noite pesada,
Raio, trovão, ventania,
No lombo da madrugada
Trotando o verão fugia.



O CAMINHO DA ETERNIDADE

Que a morte todos teremos
Um dia que enfrentar,
O bom é que não sabemos
Nem hora e nem lugar.


A HORA DO RUSH

Vive o povo o seu lamento,
Ninguém ouve o seu clamor,
Nas ruas trânsito lento,
Sufoco, suor, calor.


SÓ TE PEÇO QUE FIQUES EM SILÊNCIO

Melhor não dá a entender
A tua mediocridade,
Se não tens nada a dizer
Não digas, por caridade!


Nenhum comentário: