segunda-feira, 2 de julho de 2012

RIOS ENVENENADOS - 1º CANTO

 

Enzo Carlo Barrocco


Desgraça Alheia

É tão bom rir da desgraça
alheia!
(Que coisa feia!)
Ah! mas não existe maior prazer;
é como um orgasmo demorado,
acha-se ótimo, e rir-se longo,
de doer.



 

Velórios

Por que o silêncio lúgubre
nos velórios?
Penso mesmo que não há razão.
Ora! Quem há de se incomodar,
se não tem como reclamar
o sisudo anfitrião?

 

Férias Eternas

Não gosto do trabalho,
esse monstro enfadonho da Terra,
lombo de ferro, puro horror.
Veja bem! Até Deus só trabalhou
seis dias (seis dias!!!)
e, depois disso, eternamente descansou
.

Nenhum comentário: