quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A PEQUENA HISTÓRIA DO HOMEM DEPRESSIVO


Enzo Carlo Barrocco
























À beira-mar,
sobre um íngreme penhasco,
um homem contempla
o horizonte distante;
céu e mar.

Embaixo, as ondas se espraiam
sobre as pedras angulosas.
O sol perfura o dia nublado
e a luz se expande
sobre a paisagem.

Súbito, o homem à borda 
do abismo,
como um paraquedista,
se deixa cair.

Devido os ondas não se ouve 
a pancada;
o sol novamente se esconde
entre a nuvens.  

Nenhum comentário: