terça-feira, 5 de março de 2013

A POESIA SUL-MATO-GROSSENSE DE ADALBERTO MÜLLER



 O POEMA...
 

PLANTAS EM VIVEIRO

Este secreto recanto
esconde muitas vidas:
o discreto charme
das alamandas
          tão brandas
vaginas abertas ao acaso;
a inocência dos amarantos,
o sorriso dos beijos eternamente
felizes.            
Esse pequeno jardim
          da infância,
a memória hoje recria
em seu viveiro de sensações perdidas : as
mãos roçando o tenro
veludo
          das violetas.



 ...O POETA
























Adalberto Müller Júnior, poeta, roteirista e cineasta, sul-mato-grossense de Ponta Porã, no convés da fragata desde em 1966, pratica o nomadismo intelectual e criativo, como ele próprio define, pois já viveu em Campo Grande, Campinas, Brasília, Curitiba, São Paulo, Köln e Münster, como também no Rio de Janeiro. Pesquisador em literatura e cinema realizou, em 2008, o curta-metragem Wenceslau e a árvore do gramofone, baseado em poemas de Manoel de Barros. Como poeta, Adalberto publicou textos em revistas como Coyote, Poesia Sempre e Inimigo Rumor, além dos livros Ex officio (Paris, 1995) e Enquanto velo teu sono (7Letras, 2003). O poeta envereda por um caminho onde a poesia se mostra inteira, a imagem, a força poética da palavra, a poesia irrefutável.





Nenhum comentário: