quarta-feira, 14 de outubro de 2015

BEIRAIS DOS ABISMOS

Enzo Carlo Barrocco





















Toda manhã essa luz inacabável se desata
sobre o meu universo próprio
acendendo antigos planetas,
iluminando bólidos fugazes,
beirando os confins do desconhecido.

A cada verso meus abismos se incendeiam,
lume que se alastra
desde as profundezas
do espírito,
larva que se estende por toda a borda.







Nenhum comentário: