quinta-feira, 8 de outubro de 2015

O PÁSSARO ENFERMO



Enzo Carlo Barrocco

 


















Soma-se à dor
uma súbita tarde
onde não se nota no céu
um tom de azul que seja.

A intrigante proximidade
do crepúsculo lembra
a morte que ronda os hediondos
entornos das penumbras.

Embora a angústia que se intermete
entre as fendas letárgicas da alma,
o breve voo
de um pássaro enfermo.

Nenhum comentário: