quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

SONETO INVERTIDO

Enzo Carlo Barrocco



















 
O verso e o reverso do poema
que se movem sobre o dorso da palavra
despertam-me de um sono amargurado

momento que me envolve e que me trava.
Não confio nesse sentimento estranho
futuro que nos meus olhos se encrava.

Pretendo no silêncio desta noite
livrar-me dessa dores insuportáveis
que encontro, vez por outra, estacionadas
às margens de estradas intermináveis.

No entanto essas lutas indeléveis
e todo o meu esforço consumido
deixo que caminhem livremente
à luz deste soneto invertido.

Nenhum comentário: