terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

A POESIA ARGENTINA DE BALDOMERO FERNÁRDEZ MORENO



O POEMA...

SONETO DOS AMANTES
                                              
Vede em sombras o quarto e sobre o leito
desnudos, afogueados, roçagantes,
em nó vivo e carnal os dois amantes,
boca com boca e peito contra peito.

Faz-se mais apertado o nó estreito,
bailam febris os dedos delirantes,
o alento se suspende por instantes...
e eis finalmente o nó sexual desfeito.

Desordem de lençóis e de almofadas,
as pálidas cabeças despenteadas,
uma solta palavra indiferente,

de fome um pouco, um pouco de tristeza,
um infantil desejo de pureza
e um vago olor de não-sei-quê no ambiente.

Tradução de Ivan Doretto


...O POETA
















Baldomero Eugenio Otto Fernández Moreno (Buenos Aires 1886 – Idem 1950) poeta, ensaísta, cronista e crítico de cinema é considerado um dos expoentes da literatura argentina do século XX, representante da geração de 1940. Fernández Moreno deixou uma extraordinária obra poética caracterizada  por uma facilidade de converter em poesia as coisas mais simples. O poeta também se distinguiu pela descrição da geografia íntimas dos bairros de Buenos Aires e a placidez das províncias e das paisagens interioranas da Argentina. Saudemos Fernández Moreno que deu importante contribuição à literatura desse importante país sul-americano.


Nenhum comentário: