sábado, 18 de abril de 2009

JIRAU DIVERSO Nº 37


JIRAU DIVERSO

Nº 37 – março.2009

por Enzo Carlo Barrocco


A POESIA PARAENSE DE JOSETTE LASSANCE


O POEMA


BLADE RUNNER
 
Ele,
Ela
Bonecos de cera
Na rua, piche.
No céu,
Oito aviões supersônicos
Noferastu nos museus
Um beijo que acaba no vácuo.
 
 

A POETA


Josette Lassance, paaense de Belém, poeta e contista, no convés da fragata desde 1962, já participou de várias publicações em revistas de Belém, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Sua poesia destaca-se pela excelente colocação das palavras o que dá ao poema o ritmo necessário. Em 2001, Josette publicou o livro Prazer Clandestino, que são cartões fotográficos acompanhados do texto poético, o que faz dela uma escritora eclética e diveersificada.

***

ESTANTE DE ACRÍLICO

Livros Sugestionáveis


Nola – O Manuscrito que Abalou o Mundo

Autor: Benedito Ismael Camargo Dutra

Edição: Editora Marcozero

O autor acredita que é ainda possível salvar o planeta o ocultismo, o misterioso, o etério, assuntos que sempre aguçaram a mente humana. Um livro questionador.


O Macaco Malandro

Autora: Tatiana Belinky

Edição: Editora Moderna

O teatro muito bem representado contando a história do macaco que espertamente ludibria um lobo e uma raposa. Graça e leveza no texto de Tatiana.


Os Lusíadas

Autor: Luís Vaz de Camões

Edição: Editora Ática

Poema épico acrecentado de comentários críticos e notas explicativas por Carlos Felipe Moiséis, o que torna a leitura mais elucidativa.


***


A FRASE DI/VERSA


Todos os dias, sob todos os pontos de vista, eu vou cada vez melhor.

- Emile Coué (Troyes 1857 – Paris – 1926) psicólogo, farmacêutico e ensaísta francês


***


DA LAVRA MINHA

LINHAS BARROQUIANAS

Poemas de um verso só

Nº 4



Enzo Carlo Barrocco


TEMPORAL NUM FIM DE TARDE

A chuva fala à floresta a sai linguagem líquida.


BIBLIOTECA

Livros abertos; mentes que se alargam ao mundo.


O POENTE NO ARQUIPÉLAGO

O sol mergulha nas águas pretas das Anavilhanas.


LUAR LITORÂNEO

A lua no mangal – um poema de beleza única única.


POVOADO

Vento rés ao chão. Um cão se enovela na calçada.



Nenhum comentário: