terça-feira, 10 de janeiro de 2012

PROFECIA

Enzo Carlo Barroco























Estrada de brancas margens
onde luas se desviam
de nuvens e de mitos.

Somente uma noite
basta para que o poema
se converta em profecia.

E o poeta, dileto amigo,
brigue de astros e grilos
se ancora na madrugada.


Nenhum comentário: