quinta-feira, 1 de novembro de 2012

ANJOS LILASES


Enzo Carlo Barrocco




















As flores abrem-se noturnas;
    anjos lilases
ensopam a madrugada de azul-ferrete.
Barco e porto
no dorso incalculável da baía.

A madrugada surge com o silêncio
pelo cais salpicado de luar;
   
Seres bialados sobrevoam a noite;
habitam o tempo agora
farol, neblina, calmaria...



Nenhum comentário: