quarta-feira, 23 de setembro de 2009

DA LAVRA POÉTICA DE ADELMAR TAVARES


VELA BRANCA


ADELMAR TAVARES

(Recife 1888 – Rio de Janeiro 1963)


Vela branca, vela branca,
que vais lá longe... no mar...
quem me dera, vela branca,
que me quisesses levar
para tão longe... tão longe,
que eu não pudesse voltar...

Mas uma vez, vela branca,
que não me queres levar,
para tão longe... tão longe...
que eu não pudesse voltar,
leva-me a saudade dela
para o mais fundo do mar.


Nenhum comentário: