terça-feira, 9 de agosto de 2011

A POESIA CATARINENSE DE HUGO MUND JÚNIOR




A POEMA

VÊNUS TARDIA

Pérfido, aquece o verão esta chama,
extrema euforia sustentada por Vênus,
fábula que aflige a carne madura.

Derrota o sol a excessiva indulgência
do coração afogado na embriaguez
que não quer saber do seu outono.

Na duração da incógnita, o enjôo do fruto.
Este é o lugar da víbora e da pomba,
risco de insulto no irrevogável impulso.


O POETA



Hugo Mund Júnior, catarinense de Mafra, poeta e artista plástico, no convés da fragata desde 1933, eleva significativamente o nível da poesia catarinense com seus textos compactos. O poeta lança mão de sua condição de artista plástico para criar a chamada poesia visual, um gênero que só se arrisca a fazer quem realmente tem capacidade técnica e intelectual. Não percamos de vista esse maravilhoso poeta.


Nenhum comentário: