segunda-feira, 24 de setembro de 2007

TIA ZIRLA

Miniconto
por Enzo Carlo Barrocco

Eram, sem bem me lembro, sete horas da manhã. Havia uma “puxada” da cozinha para trás, onde se tomava o café da manhã, se almoça, se conversava. Tia Zirla (21 anos completados), vinda de Baieux, ficara conosco alguns dias. Casa do interior você sabe, o banheiro é longe. Então, naquela manhã, ouvi um sibilo para um dos lados da casa. Eu, sozinho que estava, levantei-me para ver o que era, por curiosidade, apenas. Só inclinei a cabeça para ver por trás da parede. Nossa!!! Meu coração subitamente acelerou e fiquei estático no alto dos meus 12 anos. Tia Zirla agachada ao pé de uma planta urinava despreocupadamente. Ai! Bem de frente para onde eu estava. Diante daquela esplêndida e fascinante visão comecei a tremer. Que sexo lindo ela tinha - lábios grossos, clitóris rubro, delicadamente depilado nas extremidades. Ao fim de tudo e sem que ela me visse corri como um louco para o cipoal.



Nenhum comentário: