segunda-feira, 22 de outubro de 2007

UM POEMA

Enzo Carlo Barrocco



Um poema: a manhã se levanta
com sua cara de sono
preguiçosamente inadiável.

A libido transformada em luz,
louca madrugada de orgasmos
e palavras pornográficas;
o suspiro e o riso profanados.

Preguiçosamente inadiável,
com sua cara de sono,
a manhã se levanta.

Nenhum comentário: