quarta-feira, 7 de maio de 2008

O POEMA BAIANO DE JOÃO FERNANDES FILHO


João Fernandes Filho

(Bom Jesus da Lapa 1975)
Poeta baiano

O DIA DE DEUS

O dia de Deus é branco
sumo de semana que nunca acaba
não é memória que luz
é cegante em sua claridade
que desconforta todo nascido

O dia de Deus é duro
de matéria só de minério
pode ser porrada ou pontiagudo
o seu ingastável é prejuízo
não de tempo-lucro

O dia de Deus é burro
Carga que quebra carroça
por não suportá-lo nem persuadi-lo
depois do peso o soldo —
capim, sal e algum líquido

Nenhum comentário: