terça-feira, 13 de maio de 2008

A POESIA DE JORGE FERNANDO DOS SANTOS: O AMIGO DAS CELEBRIDADES


Jorge Fernando dos Santos
(Belo Horizonte, 1956)
Poeta mineiro

Soneto Sertanejo


Sertão é dentro da gente
Ser tão sozinho me dói
Rio que já fez enchente
A seca hoje corrói

Na seara dessa vida
Ceará é o meu Saara
Um mar de areia moída
Que o vento sopra e não para

Peixe não é passarinho
Se tropeço numa pedra
Dessas que têm no caminho

Lembro a navalha e a seda
Iguais à flor e ao espinho
Margens da mesma vereda.

Nenhum comentário: